Concertos Tribanco

logo concertos tribanco 2018 pequena

Ministério da Cultura e Tribanco apresentam

TEMPORADA 2018

logo tribanco isolada cabeçalho

Cristian Budu

cristian-budu-2016“A stunningly original pianist with musical insight and maturity that could inspire envy in colleagues twice his age.”
Gramophone Magazine, 2016

Cristian Budu é considerado um dos expoentes de sua geração. Dotado de musicalidade genuína e uma calorosa força de comunicação, sua personalidade artística e sensível pianismo vem sendo internacionalmente reconhecidos. Desde os 9 anos de idade, foi laureado com o primeiro lugar em diversos concursos nacionais, como o Concurso Nelson Freire (2010) e o Programa Prelúdio da TV Cultura (2007).

Em 2013, tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o 25º “Concours International de Piano Clara Haskil na Suíça”, considerado um dos mais importantes concursos da atualidade, que tem entre seus vencedores em edições passadas Christoph Eschenbach, Richard Goode, Mitsuko Uchida e Evgeni Korolyov. Esse prêmio tem sido considerado pela crítica no Brasil como a mais importante premiação a um pianista brasileiro nos últimos 20 anos. Além do grande prêmio, Cristian também arrebatou o prêmio do público e o prêmio Children’s Corner. No mesmo ano venceu também o concurso “WIld Card Ensemble Honors Competition” do New England Consevatory em Boston.

Recentemente, seu CD de estreia no selo suiço CLAVES (Prelúdios de Chopin e Bagatelas de Beethoven) foi reconhecido com o “Editor’s Choice” da revista inglesa Grammophone e com o selo “5 Diapasom” da revista francesa Diapasom. Gravou também um CD com os Prelúdios de Chopin e as Kreislerianas de Schumann por encomenda da Revista Concerto e o concerto nº 1 de Tchaikovsky com a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo sob regência de Cláudio Cruz.

Cristian desenvolve uma carreira intensa como solista e camerista, apresentando-se com na América do Sul, Europa, Estados Unidos e Israel em salas como Jordan Hall em Boston, Ateneu de Bucareste, Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, Museu da Casa Brasileira, entre outras.

Tem sido um parceiro frequente de Antonio Meneses, com quem se apresentou no Festival VERMELHOS em Ilhabela e na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro.

Apresentou-se com a Orchestre de la Suisse Romande, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica de Sergipe etc, e dividiu o palco com os artistas Frederic Chaslin, Sebastian Baverstam, Cláucio Cruz, Roberto Minczuk, George Li, Iosif Ion Prunner, Guilherme Mannis e Julio Medaglia.

Apresentou recital no Rockport Music Festival (EUA), ministrou masterclass na University of Massachusetts (EUA), e participou de diversos concertos em Boston, pelo projeto “Community Performances and Partnerships”. Com patrocínio do programa Young at Arts, apresentou-se na Romenia como solista junto a Orquestra Emil Nichifor e em recital no Museu George Enescu. Em Israel, apresentou recitais solo e em duo com o violinista Semion Gavrikov a convite da Organização “Zfunot Tarbut” e participou na Argentina do I Encontro de Pianistas do Mercosul, organizado por Dario Ntaca.

Cristian dedica-se também à música popular. Em 2009 participou como convidado especial de um espetáculo de Antônio Nóbrega no Auditório Ibirapuera, e em Boston é integrante de um quartet especializado em choro.

Cristian apresenta-se regularmente em festivais como o Klavier-Festival Ruhr, Festival da Radio France e em concertos com orquestras como a Sinfônica da Rádio de Stuttgart, Orquestra Sinfônica de Jerusalém, OSESP, OPES Filarmônica de Montevideo, entre outros.

Cristian é Mestre em Performance Pianística pelo New England Conservatory (EUA), onde foi bolsista de 2010 a 2012, na classe de Wha Kyung Byun, com quem estuda até hoje. É bacharel em Música pela USP na classe de Eduardo Monteiro e antes disso estudou com Elsa Klebanovsky (pupila de Wilhelm Kempff), Marina Brandão e Cláudio Tegg. Foi aluno do Instituo Brincante, onde teve aulas com Rosane Almeida e outros artistas populares. Participou de masterclasses com artistas como Russell Sherman, Menahem Pressler, Maria João Pires, Leif Ove Andsnes, Gilberto Tinetti, Marisa Lacorte, Flavio Augusto, entre outros.

Vídeo (trecho)

Recital dia 02/12/2016

Fabio Zanon

Fabio Zanon é internacionalmente reconhecido como uma das estrelas do violão clássico. Seu amplo repertório, seus projetos inovadores, bem como sua diversificada atividade como regente, professor, escritor e comunicador têm contribuído para ampliar a presença do violão no universo da música clássica. Em novembro de 2010 ele recebeu o Prêmio Bravo! de Melhor CD Erudito do Ano por sua gravação da obra de Villa-Lobos pela Biscoito Fino, e foi indicado para o prêmio Artista Prime do Ano.

Seu mais recente CD, com a estréia mundial do Concerto para Violão e Orquestra de Francis Hime, onde toca acompanhado pela Orquestra Sinfonica de São Paulo regida por Alondra de la Parra, foi indicado em 2011 para o Grammy Latino, na categoria Melhor CD de Música Clássica.

Como solista, ele tem se apresentado em algumas das salas mais importantes como o Royal Festival Hall em Londres, o Carnegie Hall em Nova York, o Philharmonie de São Petersburgo, a Sala Tchaikovsky em Moscou e o Concertgebouw de Amsterdam e é convidado freqüente dos maiores festivais em quatro continentes. Como solista orquestral, além de tocar o repertório tradicional em todo o mundo, ele estreou, nos últimos anos, várias obras contemporâneas e integrou ao repertório regular várias obras-primas esquecidas.

Sua atividade como camerista cobre um amplo espectro que vai do mais tradicional ao mais inusitado. Sua estréia como regente de ópera, em 2006, foi escolhida como melhor espetáculo musical do ano pela revista Veja São Paulo. De 2006 a 2008 escreveu e apresentou o programa O Violão Brasileiro na Cultura FM, uma série de 150 programas que já é considerada um marco no estudo do instrumento no Brasil e adotada até como material didático.

Como professor, já ministrou cursos em todas as mais importantes escolas, da Juilliard em Nova York ao Conservatório Gnessin de Moscou. Desde 2008 é Professor Visitante da Royal Academy of Music de Londres, um posto ocupado por músicos da estatura de Maxim Vengerov e Kiri Te Kanawa, onde atende à elite internacional dos estudantes de violão.

Fabio Zanon estudou com seu pai e com o professor Antonio Guedes em sua cidade natal, Jundiaí. Mais tarde se aperfeiçoou com Henrique Pinto e Edelton Gloeden. Em 1990 mudou-se para a Inglaterra, estudou na Royal Academy of Music com Michael Lewin e participou dos master classes de Julian Bream.

Apesar de ser avesso à competição, sua carreira teve um significativo impulso ao vencer, em 1996, dois dentre os maiores concursos internacionais de violão, o Concurso Tarrega na Espanha e o GFA nos EUA, num espaço de poucas semanas. Desde então ele tem feito turnês anuais na Europa e América do Norte e já se apresentou em mais de 40 países. Em 97 ele foi agraciado com o Prêmio Moinho Santista e em 2005 com o Prêmio Carlos Gomes.

Fábio Zanon é autor do livro Folha Explica: Villa-Lobos.